ASPAZOR – Impactos ecossistemáticos e benefícios socioeconómicos de Asparagopsis armata nos Açores

 

DESIGNAÇÃO DO PROJETO

ASPAZOR - Impactos ecossistemáticos e benefícios socioeconómicos de Asparagopsis armata nos Açores

REFERÊNCIA DO PROJETO

ACORES-01-0145-FEDER-000060

PRINCIPAL OBJETIVO

O presente projeto pretende entender o efeito da alga não indígena Asparagopsis armata nas comunidades litorais dos Açores e prever como a abundância desta espécie irá influenciar a biodiversidade costeira destas ilhas em cenários futuros de alterações climáticas. O projeto visa ainda avaliar o potencial de Asparagopsis como recurso alternativo para exploração comercial no arquipélago.

ENTIDADE BENEFICIÁRIA: Universidade dos Açores/ Fundação Gaspar Frutuoso

GRUPO DE I&D: Grupo de Biodiversidade dos Açores, GBA

ENTIDADE DE I & D: Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Climáticas, cE3c

CUSTO TOTAL ELEGÍVEL: 139. 081,83 €

FINANCIAMENTO EUROPEU: 118. 219,56 €

DESCRIÇÃO

Este projeto investiga como a alga vermelha críptica e altamente invasiva A. armata impacta os serviços ecossistemáticos e a biodiversidade costeira destas ilhas no contexto atual e em contextos futuros de alterações ambientais. Adicionalmente, este projeto investiga se A. armata tem potencial para vir a constituir um recurso marinho explorável nos Açores, com vista a fornecer informações sobre a biomassa disponível para uma exploração económica sustentável.

RESULTADOS ESPERADOS

O desenvolvimento deste projeto vai permitir preencher a lacuna de conhecimento existente quanto ao impacto de A. armata no litoral açoriano no contexto atual e em contextos futuros de alterações ambientais. Adicionalmente vai providenciar conhecimento e bases científicas para: (i) desenvolver planos de mitigação e conservação com vista à proteção das comunidades nativas; (ii) entender se a remoção da espécie pode ser efetiva na mitigação dos seus impactos negativos; e (iii) testar a utilidade desta alga invasora como um novo recurso marinho. Considerando os múltiplos usos de extratos desta espécie não nativa e a sua elevada abundância nas costas do arquipélago, este projeto vai ainda promover o uso sustentável de A. armata como fonte de benefícios económicos e sociais para a Região na área da biotecnologia marinha. Isto permitirá aos agentes económicos locais a implementação de uma nova pescaria, que terá como valor acrescentado o potencial de permitir o aparecimento de novos investimentos locais com potencial económico na área da inovação tecnológica. No seu conjunto, os resultados esperados deste projeto irão providenciar benefícios económicos e socais à população açoriana.

FOTOGRAFIAS