SEA-THINGS – Objetos de Aprendizagem para Promover a Literacia Oceânica

DESIGNAÇÃO DO PROJETO:

SEA-THINGS – Objetos de Aprendizagem para Promover a Literacia Oceânica

 

CÓDIGO DO PROJETO:

ACORES-01-0145-FEDER-000110

 

OBJETIVO PRINCIPAL:

 

O projeto seaThings tem como objetivo aumentar a produção científica de qualidade e orientada para a especialização inteligente, alavancar a literacia sobre o mar e ambiente marinho nas escolas, centros de ciência e sociedade em geral, disponibilizando na web conteúdos de divulgação científica adicionados por investigadores, professores, alunos e divulgadores de ciência a um repositório de objetos de aprendizagem criado pelo projeto. Apoiado no standard OBBA (Vicari 2010), este projeto assegura técnicas baseadas em inteligência artificial de apoio à procura de objetos de aprendizagem, registo e autoria de novos objetos, cria uma federação de repositórios (FED-seaThings), tornando-se numa ferramenta poderosa para a aprendizagem e partilha.

Para atingir este objetivo, o projeto:

(i) utiliza tecnologias de ponta na implementação e manutenção de um Repositório de Objetos de Aprendizagem (ROA) para garantir o registo e visibilidade dos conteúdos e do seu ciclo de vida, fornecendo ainda ferramentas de inteligência artificial, como motores de busca inteligentes, ferramentas de conceção e interfaces adaptadas;

(ii) utiliza e difunde conhecimento sobre o ambiente marinho com a contribuição de especialistas locais, escolas e outras instituições de ensino ligadas ao projeto e reunindo diferentes recursos de iniciativas anteriores ou projetos relacionados ainda em atividade;

(iii) fornece Objetos de Aprendizagem (OAs) para os diferentes níveis de ensino. Como a participação das escolas e centros de ciências contribuirá para preencher o ROA, não há restrições ao nível dos OAs produzidos, embora a identificação do público alvo do OA seja adicionada aos metadados;

(iv) participa numa federação de repositórios relativos ao ambiente marinho e assuntos marinhos usando interfaces adequadas para diferentes utilizadores e apoiando uma interação colaborativa entre utilizadores e autores.

ENTIDADE BENEFICIÁRIA: Fundação Gaspar Frutuoso / Universidade dos Açores

CUSTO TOTAL ELEGÍVEL: 179 996,72 €

FUNDO EUROPEU DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL (FEDER): 152 997,21€

 

DESCRIÇÃO:

O projeto objetos-do-mar (SeaThings) visa promover a literacia dos oceanos através do envolvimento ativo de investigadores de diferentes universidades, das escolas e dos centros de ciência da região, na criação de Objetos de Aprendizagem (OA) sobre os oceanos e disponibilizando-os na web em repositórios de acesso aberto. Utilizando tecnologias da inteligência artificial, serão desenvolvidas ferramentas de apoio à pesquisa, criação e gestão dos OA.

O Learning Technology Standards Committee usa um padrão para os Objetos de Aprendizagem (IEEE Standard 1484.12.1) definido como qualquer entidade, digital ou não digital, que pode ser usada para aprendizagem, educação ou treino. Esta definição é complementada pelas seguintes características principais: reutilizáveis - um único objeto de aprendizagem pode ser usado em múltiplos contextos para múltiplos propósitos; autossuficiente - cada objeto de aprendizagem pode ser tomado de forma independente; agregação - os objetos de aprendizagem podem ser agrupados em coleções maiores de conteúdo, incluindo estruturas de cursos tradicionais; metadados - cada objeto de aprendizagem tem informações descritivas que permitem que seja facilmente encontrado por uma pesquisa.

Com base no padrão IEEE LOM, um novo padrão OBAA (Objetos de Aprendizagem baseados em Agentes) foi proposto estendendo metadados (Vicari 2010), para adicionar suporte a várias plataformas (como TV digital e plataforma de dispositivos móveis), permitindo a construção de objetos de aprendizagem interoperáveis; para incluir novos campos na educação que promova a experiência colaborativa no uso dos OA; para adicionar acessibilidade, cobrindo a maioria dos requisitos para o uso de diferentes dispositivos para cidadãos com necessidades especiais; e, finalmente, adicionar informações de segmentação, possibilitando indexar segmentos de um objeto de aprendizagem por assuntos, destaques ou atividades (Athanasiadis, 2010).

Vicari R.M., Ribeiro A., da Silva J.M.C., Santos E.R., Primo T., Bez M. (2010) “Brazilian Proposal for Agent-Based Learning Objects Metadata Standard – OBAA” In: Sánchez-Alonso S., Athanasiadis I.N. (eds) “Metadata and Semantic Research” MTSR 2010. Communications in Computer and Information Science, vol 108. Springer, Berlin, Heidelberg

RESULTADOS:

Vão obter-se os seguintes resultados:

  1. Um repositório com Objetos de Aprendizagem de acesso aberto e integrado numa federação;
  2. Um conjunto de autores disponíveis para desenvolver objetos de aprendizagem e registá-los no repositório e uma comunidade de utilizadores do sistema;
  3. Um conjunto de ferramentas inteligentes para ajudar o processo de autoria, nomeadamente capaz de analisar a descrição dos OAs e propor uma catalogação.
  4. Um sistema de recomendação para ajudar os utilizadores registados a cobrir diferentes tópicos para uma compreensão completa das diferentes dimensões da alfabetização oceânica, apoiada por um sistema multiagente.
  5. A análise no tempo dos OAs usados fornecerá dados sobre o uso do mecanismo de pesquisa de federação e sobre o uso dos OAs, bem como o número de novos OAs a serem adicionados ao repositório.
  6. Para além da participação ativa de escolas e centros de ciência, estima-se a publicação de pelo menos 6 artigos em revista e 6 comunicações nacionais e internacionais e a criação de dois protótipos de tecnologia aplicada à Inteligência Artificial.

 

 

FOTOGRAFIAS: