Interreg MAC
Acrónimo:REBECA
Centro de Custos:612
Código da Operação:MAC/1.1a/060
Título:Rede de Excelência em Biotecnologia Azul (Algas) na Região da Macaronésia
Início-Fim:01-01-2017 - 31-12-2021
Entidade Beneficiária Principal:Fundação Gaspar Frutuoso
Gestores da FGF: Vera Cordeiro
Investigador Responsável:VÍtor Manuel da Costa Gonçalves
Unidades Orgânicas:FCT - Faculdade de Ciências e Tecnologia
Unidades I&D:CIBIO-A - Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos
EntidadeFundação Gaspar Frutuoso
Financiamento Total200.778,91 €
Interreg MAC (85.0 %)170.662,07 €
Direção Regional da Ciência e da Tecnologia (15.0 %)30.116,84 €
Principais Objetivos:

Objectivo específico 1. Arranque de uma rede através da coordenação, conectividade e cooperação entre grupos de investigação e centros tecnológicos na região da Macaronésia e NE África para consolidar uma rede de colecções de culturas de microalgas e cianobactérias nativas, avaliar a produção e valorização da biomassa de novas espécies de interesse industrial, socioeconômico e ambiental. Com isso, será possível otimizar o esforço na conservação, exploração e recuperação, tornando-se um foco próximo com uma clara vocação para potencializar e multiplicar novas linhas de pesquisa no campo da biotecnologia com microrganismos, o que incentiva o envolvimento de novos grupos de trabalho em toda a região da Macaronésia, constituindo, igualmente, um núcleo diverso e plural de atracção do interesse dos principais grupos de investigação internacionais nesta área e de possível investimento de capital nestas linhas.

Objetivo específico 2. (ITC) Novas tecnologias para a produção e processamento de algas ambientalmente sustentáveis ​​e com “emissões zero” de CO2 (biotecnologia azul e verde).

Objetivo específico 3. (SPECG) Oferta efetiva de serviços em BIOTECNOLOGIA DE ALGAS a instituições e outros agentes sociais, ONGs de desenvolvimento, grupos ou organizações de preservação do meio ambiente e do patrimônio natural, empresários ou empreendedores individuais. Produtos, Marketing e Gestão (SPECG)

Descrição do Projeto:

Os arquipélagos atlânticos da Macaronésia: Açores, Madeira, Canárias e Cabo Verde apresentam uma extraordinária riqueza vegetal resultante da evolução desde as suas origens na Era Terciária e do isolamento provocado pela condição insular. Essas mesmas condições também causaram o isolamento ao longo dos séculos de populações de microrganismos, especialmente de água doce, em corpos d'água fechados (lagos, lagoas, lagoas, salinas, margens de rios...). Infelizmente, os estudos sobre a diversidade de microalgas na Macaronésia continuam a ser escassos, apesar de as orientações internacionais apontarem para a necessidade de conservar o património natural como estratégia prioritária. Além disso, os centros de pesquisa e desenvolvimento que vêm se consolidando neste campo nos últimos anos não encontraram o quadro sociopolítico adequado para desenvolver uma estratégia de trabalho comum.

O projeto propõe a criação de uma plataforma de colaboração entre diferentes regiões da Macaronésia e NE África que permita a consolidação de uma rede de excelência em biotecnologia baseada na economia azul, especificamente na biodiversidade de microalgas, através da integração e criação de coleções e depósitos de material genético de algas. Isso promoveria não só a geração ativa de sinergias e estratégias de colaboração (uso conjunto de infraestruturas, programas de formação e qualificação de pessoal, oferta de serviços, etc.), mas também o apoio para construir novos projetos de desenvolvimento tecnológico baseados no uso racional de património biológico, que estaria em clara sintonia com os objectivos do Plano Estratégico para a Diversidade Biológica 2011-2020 e potenciaria o desenvolvimento económico e sociocultural das diferentes regiões da Macaronésia

Neste sentido, será possível otimizar o esforço regional nesta área de conservação da biodiversidade, constituindo ao mesmo tempo um foco que incentiva o envolvimento de novos grupos de trabalho em toda a região macaronésica (centros tecnológicos e universidades com instituições semelhantes para o continente africano). Da mesma forma, serviria como um nó para atrair os principais grupos internacionais de pesquisa neste campo e capital de investimento nestas linhas.

Albúm


Evidências/Publicações