Fundação para a Ciência e Tecnologia
Acrónimo:PTDC/BAA-AGR/31131/2017
Centro de Custos:735
Título:Óleos essenciais, infusões e silício na proteção de cultivos. Um estudo usando plantas de tomate, como modelo, para divulgar os mecanismos de defesa de plantas induzidos por biopesticidas, por meio de uma abordagem ômica
Início-Fim:26-07-2016 - 25-07-2022
Entidade Beneficiária Principal:Fundação Gaspar Frutuoso
Gestores da FGF: Lúcia Cláudio
Investigador Responsável:Elisabete Maria de Castro Lima
Unidades Orgânicas:FCT - Faculdade de Ciências e Tecnologia
Unidades I&D:CBA - Centro de Biotecnologia dos Açores
EntidadeFundação Gaspar Frutuoso
Financiamento Total28.144,05 €
Fundação para a Ciência e Tecnologia (100.0 %)28.144,05 €
Principais Objetivos:

O uso intensivo de pesticidas químicos nas últimas décadas tem provocado danos graves, em humanos e ecossistemas. Consequentemente, devem ser postas em prática estratégias de proteção de culturas e de conservação de alimentos frescos, amigas do ambiente, pela utilização de produtos de vegetais (PPs) biodegradáveis classificadas de ?GRAS?. Este projeto tem como principais objetivos; (a), contribuir para a conceção do novos biopesticidas, baseadas em óleos essenciais (EO), Extratos hidroalcoólicos de plantas (HAE) e silício (Si) usados como formulações livres ou complexadas com suportes naturais, incluindo formulações nano- / microcapsuladas, bem como (b), contribuir para preencher as lacunas de conhecimento sobre os mecanismos de proteção de culturas.

Eventuais efeitos tóxicos, no Homem, dos OE, HAE e Si, vão ser despistados na perspetiva das suas aplicações na agricultura e conservação pós-colheita, de frutos e vegetais frescos.

Descrição do Projeto:

O uso intensivo de agrotóxicos nas últimas cinco décadas tem gerado sérios problemas, afetando humanos e biótipos existentes na Terra. Consequentemente, estratégias amigáveis ao meio ambiente, proteção de cultivos e conservas de alimentos frescos devem ser alcançadas pelo uso de produtos vegetais biodegradáveis e GRAS (PPs).

Resultados:

A fim de obter a maior eficácia, e pensando em obter novos produtos bioativos patenteados, as abordagens de bioensaios visam explorar métodos de complexação de compostos bioativos naturais com suportes naturais, como sistemas de entrega, incluindo sua nano/microencapsulação. O OE e os voláteis de HAE de Foeniculum, Apium, Pimpinela, Anethum, Cuminum (Apiaceae), Thymus, Origanum, Salvia, Mentha, Lavandula (Lamiaceae), Linum
(Linaceae) e Cymbopogon (Poaceae) serão isolados e seus constituintes identificados e quantificados por CG-EM e CG. O potencial biopesticida do OE e HAE será avaliado contra
leveduras deteriorantes selecionadas, bem como Botrytis cinerea e Venturia inaequalis e contra o nematoide das galhas Meloidogyne javanica. Esses microrganismos parasitas são responsáveis ​​por algumas das doenças mais devastadoras das culturas. A triagem para várias atividades anti-insetos também será realizada usando os mesmos PPs contra espécies de Lepidoptera (praga devastadora na agricultura e produtos vegetais secos) e espécies de Coleoptera (produtos vegetais secos devastadores). Os bioensaios serão realizados utilizando formulações livres de EO e HAE e formulações de EO e HAE ligadas à matriz, micro e nanoencapsuladas. A biossegurança dos novos PPs será acessada por meio de células de alavanca (o principal órgão desintoxicante de xenobióticos). Os tomateiros serão infectados com os mencionados fungos, nematóides e insetos e posteriormente submetidos a tratamentos de OE, HAE e diferentes fórmulas moleculares de silício. Após a aplicação de técnicas de extração apropriadas para obter mRNA, proteínas ou metabólitos de maneira imparcial e abrangente, as amostras são submetidas a ensaios paralelos para obter um conjunto de dados abrangente do transcriptoma, proteoma e metaboloma. Esses conjuntos de dados são então analisados ​​em pipelines de bioinformática para identificar os componentes e a quantidade de diferenças na abundância de mRNAs, proteínas e metabólitos específicos, que podem ser relacionados a alterações fenotípicas na planta, como resistência a herbívoros ou patógenos. Esta informação pode então ser usada em práticas de manejo de culturas.

Albúm


Evidências/Publicações